A antropoemia – o vômito – interrompe a digestão e a evacuação: reverte a dialética ao não permitir que se faça a síntese. Impedido de virar bosta, todo vômito se faz comestível: na contramão da síntese, vomitar é a possibilidade de comer novamente, e outra vez mais. “Contínua transformação do tabu em totem”. Todo vômito “já éramos” alimento – como indicava Oswald no Manifestode 1928. O vômito pode ser, portanto, elemento terciário no interior da lógica binária: é ao mesmo tempo alimento e dejeto, inclusão e exclusão. Ambivalência. O vômito é o pulsante processo dialético e histórico, instável e informe. Força que não estabiliza.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

SEGUNDA-FEIRA: início do seminário!


IV SEMINÁRIO DE PESQUISADORES PPGARTES – UERJ
Vômito e não: práticas antropoêmicas na arte e na cultura
20 a 24 de agosto de 2012

20.08
19h | abertura
19h30 | conferência
Com o curador Paulo Herkenhoff (RJ). Mediação Rafael Cardoso (RJ).

21.08
15h | comunicações
Por quanto você se vende?” Questões sobre mercado, capitalismo e arte
Adriene Adão, Ana Carolina Barboza, Luriam Silva e Zenite Lima (RJ) | Imagem e sexualidade: a estética da contemporaneidade
Rafaela Rodrigues e Zenite Lima (RJ) | Tessituras imagéticas entre o documentário A maçã e as narrativas cinematográficas
Fernanda Manéa (RS) |
Em busca do encontro com o espaço urbano
Susana de Castro (RJ) |
A retórica da prostituição e seus efeitos na arte pop
Tatiana Drummond (RJ) | A crônica, a crítica e a ação
Mediação Maristela Pessoa

19h | debate
Brasil: estrias antropoêmicas, antropofagia e globalização
Com o militante da Rede Universidade Nômade Bruno Cava (RJ), o cientista político e professor da UFRJ Giuseppe Cocco (RJ) e o coautor de atentados poéticos Jomard Muniz de Britto (PE). Mediação Marcelo Campos (RJ).
Para além das clivagens – históricas, de valor e de sentido –, tratará da hibridização e das multiplicidades no âmbito do debate da antropofagia-antropoemia e do contexto socioeconômico do Brasil de hoje.

22.08
15h | comunicações
Participar é preciso?” Questões sobre a ideia de participação na arte e seus desdobramentos
Cláudia Góes Muller (RJ) | Dança contemporânea em domicílio
Gustavo Motta (SP) | Vômito de imagens, diarreia, logorreia – modos de regulação da “participação do espectador” na arte brasileira dos anos 60/70
Iara Cerqueira Linhares de Albuquerque e Victor Venas (RJ/BA) | Rascunhos poéticos: o corpo como diário e a imagem como documento
Jacqueline Medeiros (CE) | Projeto coca-cola: a crítica participativa de Frederico MoraisPaula Huven (RJ) | Cartografia: para delinear um lugar errado em certoRaphael Soifer (RJ) | Memórias sujas da Lapa
Rubens Pileggi Sá (RJ) | O x da questão
Mediação Tatiana Klafke

19h | debate
Subversão e resistência no campo da arte
Com os artistas Alexandre Vogler (RJ) e Yuri Firmeza (CE). Mediação Ricardo Basbaum (RJ).
Por entre – e para além – dos processos de institucionalização antropófaga ou das expectativas por uma crítica institucional antropoêmica, abordará o espaço e as tensões da ação crítica dentro do campo cultural, explorando intencionalidades de resistência e de subversão.

23.08
15h | comunicações
Para onde vocês vão, coletivos?” Questões sobre a prática coletiva em arte
Erica Silva, Joziane Harris, Leandro Fazolla e Walmira Santos (RJ) | A Moreninha: os anos 80 além da pintura
Monica Cauhi Wanderley (RJ) | O ideal acadêmico e a contemporaneidadeNanímia Góes Viegas (RJ) | Centro de Arte de Nova Friburgo: lugar de encontros
Priscilla Duarte (RJ) | Circuito cineclube: trânsitos audiovisuais
Talita Tibola (RJ) | Políticas do habitar – quem é bem-vindo ao jantar?
Mediação Amanda Bonan

19h | debate
Gêneros e degeneração
Com os artistas e pesquisadores Pablo Assumpção (CE), Paulo Belzebitchy (BA/Berlim), Pedro Costa (RN/Berlim). Mediação Aldo Victorio (RJ).
Tratará de uma leitura crítica da ideia de gênero em suas abordagens antropofágicas/antropoêmicas, sublinhando a complexidade, ambiguidade e infixidez da sexualidade.

24.08
15h | comunicações
Comer e vomitar.” Relações entre práticas antropofágicas e antropoêmicas na arte e na cultura
Ana Chiara (RJ) | Em carne viva: hiperfísica & antropoemia na literatura contemprorânea
Bruno Cesar Martins Rodrigues (SP) |
Al Berto: devoramentos e vômitos
Juliana Franklin (RJ) | Das marcas do outro: algumas notas sobre cicatrizes
Leandra Lambert (RJ) |
Diáspora nos interstícios
Marion Velasco Rolim (RS) | Entre vitrines, vômitos e outras indigestões “ao seu alcance”
Raphael Couto (RJ) | Válvula: o vômito como verbo
Renata Santos Sampaio (RJ) | O re-enactment como mediação e prática antropofágica
Teresa Paletta (RJ) |
Cadernos e abjeto
Mediação Sara Panamby

19h | debate
Antropofagia crítica
Com o pesquisador Alexandre Nodari (SC) e o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro (RJ). Mediação Mariana Pimentel (RJ).
Considerada também a partir da perspectiva da antropoemia (ou de sua negação), traçará uma análise crítica e de invenção acerca da ideia de antropofagia na contemporaneidade, sublinhando suas reverberações políticas.

23h30 | performances
Com Solange, tô aberta! (RN/Berlim) e Paulo Belzebitchy (BA/Berlim)
LOCAL |Cabaret Kalesa. Rua Sacadura Cabral, 61. Praça Mauá.

20 a 24.08
Exibição de vídeo que reúne documentação sobre situações de censura/impedimento à recente produção artística brasileira. Direção de Aline Oliveira, Amanda Bonan, Sara Panamby e Tatiana Klafke.


LOCAL
Centro Cultural da Uerj - Coart
Auditório Cartola
Universidade do Estado do Rio de Janerio - UERJ
Rua São Francisco Xavier 524 
Maracanã - Rio de Janeiro

ENTRADA FRANCA

Informações: seminarioppgartesuerj@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário